E por fim...


"A verdade é que me enchi, De você, de nós, da nossa situação sem pé nem cabeça. Não tem sentido continuarmos dessa maneira. Eu, nessa constante agonia o tempo todo imaginando como você vai estar. E você, numas horas doce, noutras me tratando como lixo. Não sou lixo. Tampouco quero a doçura dos culpados, artificial como aspartame.

Fico pensando como chegamos a esse ponto. Não quero mais descobrir coisas sobre você, por piores ou melhores que possam ser. Assim, chega. Chega de brigas, de berros, de chutes nos móveis. Chega de climas, de choros, de silêncios abismais, de lamúrias como você diz... Para quê, me diz? O que, afinal, eu ganho com isso? A companhia de uma pessoa, que já nem quer mais estar ali, ao meu lado, mas em outro lugar?

Sinceramente, abro mão. Vou atrás de um outro jeito de viver a minha vida, já que em qualquer situação diferente estarei lucrando.Bom é isso, se agora isso ainda me causa essa tristeza e esta dor enorme, tudo bem. Não se expurga um câncer sem matar células inocentes..."


Fernanda Young


2 Pode comentar aqui e surtar junto comigo!:

Caroline Leite disse...

nossa que texto nem sei o que dizer =/...

Poetisa disse...

Drix querida... Consigo entender o que diz através do texto de Fernandinha... Em algum momento passamos, passaremos por isto, ontem escrevi algo para alguém que poderia ser este texto, sem tirar nem por. Compartilho do texto e da dor... Belo dia, beijo!!