Sempre Caio...



Tento não ficar assustado com a idéia que este tempo aqui é curto, que eu vou voltar a São Paulo e que talvez não veja mais você. Sei que não fico assustado demais, e enfrento, e reconstituo os pedaços, a gente enfeita o cotidiano - tudo se ajeita. Menos a morte.

Mas de tudo isso, me ficaram coisas tão boas. Uma vontade de cuidar melhor de mim, de ser melhor para mim e para os outros. De não morrer, de não sufocar, de continuar sentindo encantamento por alguma outra pessoa que o futuro trará, porque sempre traz, e então não repetir nenhum comportamento. Ser novo.

[Caio Fernando Abreu]

2 Pode comentar aqui e surtar junto comigo!:

Poetisa disse...

Díficil, complicado... falar de toques, gostos, cheiros... partidas, escolhas, transformações.
Difícil, complicado... seguir adiante constatando que algo petrificou-se pelo caminho, enregelou em nós... que as pessoas paralisaram-se em si mesmas em troca de pequenas coisas e causas medíocres, relés favores e também de pequenas pessoas, (pois que elas existem).
Difícil, complicado entender uma sociedade como a nossa que engrandece os já mitos em detrimento dos nossos renegados infantis, injustiçados...
Caiamos na real, o país precisa crescer em valores, abrir os olhos para ver que as grandes mudanças começam de dentro para fora(em todos os aspectos da vida humana).
Bj

Caroline Leite disse...

Nada a comentar sobre os fragmentos do Caio F.
Bjooo ^^