Salvador Dali para ilustrar...



Acho Salvador Dali "cool". Não pelo bigodinho, mas pela psicodelia do cara. Surrealismo perde! E essa imagem do pintor catalão, vale para ilustrar o sentimento que me tomou o dia todinho: perda de tempo...

Hoje vi uma pessoa que me calou por dentro. Pelo simples fato de eu não conhecê-la. Uma pessoa tão, mas tão próxima, que simplesmente não reconheço e não conheço. Não é doido..é simples: você tem uma pessoa a vida inteira pelo seu destino e vê, num estalar de dedos, que não a conhece. E vice-versa. Porque algum ponteiro do relógio parou em algum momento e as duas partes, por motivos diversos e únicos, não se encontraram nunca mais (sentimentalmente falando). A emoção que por destino deveria existir...não existe! E como é isso ? Não sei explicar...apenas me veio à cabeça essa coisa das relações que se perdem. Independe de que fim tenham: familiar, amigável, cama, TODAS! Elas se perdem tão rapidamente quanto chegam a nossas vidas. Já pararam para pensar nisso?

O tempo ajuda em muitos momentos, mas destrói em outros. Neste caso nada foi destruído, porque o relógio foi parado (como já comentei). Mas em outros, a gente se perde de pessoas que amamos com uma rapidez inacreditável! E quando vemos...puf! E por que exatamente isso acontece? Eu não sei...você sabe? Aposto que diria: tempo é curto pra mim...Será?

Sabe quando bate uma puta saudade do que você já viveu? Englobem TUDO em se tratando de relação... É uma coisa de vazio que dá tão forte quando você pensa: poxa , por que me perdi de tal pessoa? O quê nos afastou? E esse vazio que ela deixou? Porque você sabe que não tem como repassar amor ou carinho para iguais. É daquela pessoa..como fazer isso? Eu explico: desista! Não se consegue!

Ninguém é insubstituível, é fato...mas e quando aquela pessoa nos ajudou em uma decisão lá trás que hoje é super importante em nossa vida, sumiu..? E quando essa pessoa sumiu, mas o carinho e o ombro dela, por algum motivo inexplicável, ficou? E quando você foi àquele lugar especial com essa pessoa para tomar um café simplesmente e isso foi importante naquele momento....seja pelo papo, pela troca de olhares...onde a gente enfia isso?

Eu diria pra vocês...guardem! Mas e aí? Guardar? Que coisa doida isso de viver e se relacionar com amigos, namorados (adas), família, colegas...Todos passam, mas deixam uma marca. E de repente, não era para deixarem marcas como um brasão de família a ser restaurado a cada 5 anos e guardado. Era para que ainda estivessem em nossos "tempos"...

Enfim..desabafei..

That's all folks!





2 Pode comentar aqui e surtar junto comigo!:

Caroline Leite disse...

"...não era para deixarem marcas como um brasão de família..."
Nossa nem vou comentar sobre isso hahaha o texto do meu blog fala por si só =/
Beijo t+ =D

De lés a lés disse...

Minha primeira vez por aqui, gostei da sua casa.:)
Acho que a gente vive um pouco nos outros e os outros vivem na gente, nessas "coisas importantes" que deixam e que deixamos.
Quanto à saudade, bom, com ela não tem como brigar... o tempo ajuda a ela se acalmar.
Bjs