Deixando a mochila de lado...



Quando paro para olhar o mar, sempre relaciono com a vida. Nunca tem uma estabilidade...ondas menores, outras agressivamente maiores e assim vai. Não adianta eu pensar que muitas coisas podem ser mudadas em um estalar de dedos. Não poderão, isso não vai acontecer. Fato! Não sei pra você, mas para mim sempre tenho um caminho periclitante para chegar ao objetivo final. Talvez o Cara lá de cima ache que eu precise amadurecer a cada conquista, a cada desejo. Ok, vou aceitar ...fazer o quê?


Vem aquelas horas fortes que você pensa, diz e planeja: vou pegar uma mochila (comprar uma porque não tenho aquelas imensas de viagem), pegar o básico e dar a volta ao Brasil! Mundo não...não tenho roupa de frio para a Suiça ou prancha para o Hawai. Prefiro andar dentro da segurança do meu “território”. Não quero passar por terremotos ou tsunamis. Uma vida mochileira em segurança territorial.


Só que este pensamento é coisa de minutos. Aí cai a realidade...pesada, articuladamente pesada. Nestas horas eu reajo contra o Cara lá de cima. Me revolto, faço perguntas (obviamente ele caga pra mim e não me dá uma só resposta , rsrs) e fico sem entender muitas coisas que acontecem. Só que por outro lado eu consigo estabilizar tudo pensando simplesmente: tenho pernas pra isso, tenho braços perfeitos para aquilo outro, tenho facilidades profissionais que muitos não tem...e a coisa vai se acalmando...e eu fecho o site onde quero comprar minha mochila de viagem.


Sou assim, uma escorpiana assumidamente assumida. Com receios e sentimentos sem cabeça, por vezes. Mas graças a Deus, tomada pela crista da onda da responsabilidade. A onda responsável vem me trazendo à tona, me chamando a atenção para o tempo que urge. Me abre a cabeça para certos probleminhas que tanto me entristecem, mas que necessariamente não precisam ser levados na minha cabeça por muito tempo. Apenas o tempo correto para que eu me ambiente com aquela tristeza e crie defesas futuras.


E se tudo fosse fácil, seria chato, concorda? Se tudo fosse espetacular, os olhos não seriam lubrificados pelas lágrimas...noooossa! Me senti uma pastora agora...hahahah! Mas é isso. Teimo em treinar minha cabeça e meu coração para deixar de lado picuinhas, pensamentos bobos, ciúmes sem razão para que eu consiga seguir adiante dando sempre o melhor que eu possa dar. Sempre...


Ótima semana a todos!!!




1 Pode comentar aqui e surtar junto comigo!:

Hérika Vale disse...

Olá minha linda, adoro o seu espaço e sempre que posso dou uma passadinha aqui, esse seu texto me fez pensar muito, inclusive porque estou passando por momentos extremamente difíceis e o que mais quero é uma mochila e a estrada...beijos