Sobre traição..



Na hora do almoço, vi um programa (por 20 min ) que falava sobre a tal da traição. Legal o papo, as idéias e tudo mais. Uma antropóloga falou que era coisa antiga isso de traição... que as pessoas sabem muito bem o que querem quando entram em um relacionamento. Outra psicóloga ja dizia que o mundo estava evoluindo para que as relações fossem completamente abertas...etc e tal. O que eu acho disso?

Repare: se eu amo tal criatura, quero ter uma relação com ela, por que meu Deus, eu vou trair? Não concebo. Se não amo, não entro na relação. Pra quê? Eu vou olhar pro lado, vou prestar atenção em uma morenice qualquer e pum...lá estarei eu traindo. Porque a gente se conhece ne? A gente sabe, mesmo que não queira falar, quais são nossos limites mais insanos. Eu conheço alguns meus. Eu disse , alguns!

Sou uma apaixonada intensa. Daquelas que chora quando a coisa não vai bem, que se entrega 100%, que tenta compreender e ajudar ao máximo que me permitam as minhas forças, que gosta de cuidar , que gosta de conchinha. Como diz minha amiga Cau "você é A intensidade em pessoa". Sim, eu sou. Admito!

E nesses último dias eu pensei horrores. E quem me conhece sabe que "vivo" pensando. Senti falta, ausência, dor e abri um sorriso 3D domingo passado. Sei lá porque cargas d'água, quando tenho um problema, ele remexe nos outros que estão quietos. E aí faz-se a tempestade...E por que eu saí do assunto traição mesmo? Não, não saí...

Trair é coisa do passado , assim como a antropóloga pensa. Colocar em risco todo o plano de vida (sem maiores futuros lá em 2015) que você construiu com a pessoa que permeeia seu pensamento é , no mínimo, idiotice. E o que você faz com tudo que pensou? Com tudo que sentiu? Burramente joga por fora por um caso sem nenhum nexo? Não concordo...por isso sigo meus sentimentos com toda a força e intensidade que eu possa, porque eu sou assim..entregue... Portanto, lealdade ao que sinto e fidelidade à pessoa que está comigo, são fatores absurdamente importantes para minha vida. Eu só me sinto bem comigo mesma quando sou sincera com meu amor...

Viajei ne? Sim, to meio sem raciocínio hoje e aí venho aqui para falar... não é um desabafo..esse texto de hoje, não... É apenas uma colocação de idéias!

That's all folks!

3 Pode comentar aqui e surtar junto comigo!:



"Não sinto nada mais ou menos, ou eu gosto ou não gosto. Não sei sentir em doses homeopáticas. Preciso e gosto de intensidade, mesmo que ela seja ilusória e se não for assim, prefiro que não seja.

Não me apetece viver histórias medíocres, paixões não correspondidas e pessoas água com açúcar. Não sei brincar e ser café com leite. Só quero na minha vida gente que transpire adrenalina de alguma forma, que tenha coragem suficiente pra me dizer o que sente antes, durante e depois ou que invente boas estórias caso não possa vivê-las. Porque eu acho sempre muitas coisas - porque tenho uma mente fértil e delirante - e porque posso achar errado - e ter que me desculpar - e detesto pedir desculpas embora o faça sem dificuldade se me provarem que eu estraguei tudo achando o que não devia.

Quero grandes histórias e estórias; quero o amor e o ódio; quero o mais, o demais ou o nada. Não me importa o que é de verdade ou o que é mentira, mas tem que me convencer, extrair o máximo do meu prazer e me fazer crêr que é para sempre quando eu digo convicto que "nada é para sempre."

Gabriel Garcia Marquez

2 Pode comentar aqui e surtar junto comigo!:

Engraçado...



Eu já estava saindo, Lapa é o local de hoje! Mas "achei" de entrar no meu blog...sim, este que vocês leêm . Mas parei para pensar em como sou observadora e mato "charadas" imediatamente. Não era assim sempre. Era muito "será?" , "pode?" ...e isso nunca deu certo. Nunca.

Todo Maracanã sabe da minha paixão por Salvador... os amores que me levaram e levam até lá, foram apenas as tais "Pontes de Madison". Salvador é como se fosse uma cidade incrustada no meu coração... Fiquei por lá quase dois meses agora (Junho e Julho) e pude sentir que não tenho como abdicar da serenidade e da paz interior que a cidade me dá. Andar pela orla da Barra a noite, de dia, ver o por do sol pontualmente as 17h15...se demorar ele se põe as 17h17... é reconfortante. O meu momento é de mudança...e Salvador sempre me ajuda a pensar. Na melhor forma de lidar com essa mudança...

Hoje, sei la porquê estava pensando nisso a tarde: fichas caíram. E parei para me olhar no retrovisor do meu passado e pensei: Buda, como mudei! Estou mais solta das pessoas, mais amadurecida no modo de cuidar e agir com os outros. Estou mais convicta de algumas coisas (menos que chocolate faz mal...isso não muda..tsc, tsc). Mas permaneço com meu coração como um campo de futebol. São quilometros quadrados de pura entrega ao que acredito.

E li um comentário no meu blog (que pus a resposta aí abaixo) que me fez pensar: a vida nunca erra! Você tem sim o livre arbítrio, mas quando não o utiliza, não faz uso de um "bem" que te pertence, vem o Universo e POW! Te massacra...MAS, ele te levanta...ele te dá caminhos, muletas, bengalas, whatever! Mas ele te levanta.

As pessoas, algumas, sempre me marcaram muito. Não guardo amores do passado, não. Mas também não guardo tantas mágoas. Elas me doíam e eram um peso muito chato. Não gosto de mochilas que não contenham Adolpho (meu lap) ou uma muda de roupas! E com esse comentário inusitadíssimo, comecei a pensar em como mudei desde alguns anos pra cá. Mudei em sentimento, me respeito muito mais...mudei em cuidados, consigo visualizar que a pessoa deve se virar, mas tem meu ombro se quiser berrar ou simplesmente ficar em silêncio...Mudei na insistência de uma situação perdida...se não era pra ser, não foi! Deus sempre saberá o quê fazer com a dor que te restou.

Hoje, Renata me disse: de toda dor a gente sempre tira um aprendizado. E ela vem me dizendo isso há uns dias..é verdade..a gente tira. De uma dor imensa de anos, eu tirei vários! E hoje mudei de novo em questão de uma semana (com 39 anos, não temos a vida inteira para "aprender a viver certinho"). E falei : Eu mudei, estou pronta e vamos ser felizes!

É disso que falo...memórias me vieram agora em cataratas...mas me fazem ver mais uma vez que Deus SEMPRE sabe exatamente o que faz ... a dor de dente nunca dura pra sempre...Mas não é exatamente por isso que o que vivemos ou passamos por um tempo, não foi válido, bonito e fez uma parte IMENSA de nossas vidas. Não jogo fora as lembranças boas...NUNCA! Seja de um café ou de um chocolate quente... =)

That's all folks

4 Pode comentar aqui e surtar junto comigo!: