Tem dias....



Não, não estou falando “daqueles dias” de todo santo mês. Falo de um todo. Dias de mau humor, dias de uma tristeza que vem não sei de onde. Dias de preocupação (seja com dinheiro ou não). Dias que simplesmente , nem deveriam existir pelo simples fato de serem tão incoerentes com as coisas que sentimos e desejamos _ ou que entendemos como sendo desnecessárias naquele momento. E se repararmos, esses tais dias sempre nos pegam desprevenidos.


Incautos, damos diversos nomes a “estes dias”. Pode se chamar enxaqueca...mau humor tão somente... até má digestão. Será que é porque não queremos enxergar a fundo o quê anda rolando? Sim, eu levanto a mão e grito: “SIIIIIM”. É por aí. A mesma fuga que temos quando chega na 4ª feira e pensamos: “Na 2ª com certeza, eu começo a dieta”. É igualzinha!


Não entendo como medo de resolver tal situação. Eu pelo menos odeio ter medo e por ter medo de ter medo, eu vou lá e chafurdo logo o que tem pra ser visto e resolvido. Posso até não conseguir uma resolução de cara, mas afasto a angústia de ter medo por causa daquele negócio ali em minha vida. Se Deus quiser, a solução virá em algum momento.


E nestas horas de profunda confusão mental ou insatisfação ou até um mini-desespero, eu oro bem forte e peço aos céus a calma necessária para me livrar deste processo. Pois, se você pede solução, ela não virá. Creia! Você precisa passar por isso. Você precisa sair disso por suas próprias pernas. Não tem outro jeito. Já no filme “Nosso Lar” podemos ver que todos os obstáculos são uma forma de aprendizado. Sim, são! Não precisei ver o filme para entender e aceitar isso em minha vida. Aí, por 4s , você pára de reclamar. Sim, já percebeu isso? Quando estamos em um problema menor para o mundo e olhamos para o lado e vemos coisas absolutamente maiores e quase insolúveis, a gente tem vergonha. Coisa de 4s porque no nosso mundo, quem importa, somos nós mesmos.


O fato é: você pode resolver seu problema! Caso contrário, seu carma nunca arcaria com ele. É fácil de entender ne? Mas desastrosamente difícil de aceitar. Eu não aceito por inúmeras vezes. Acho sacanagem, putaria e por aí vai. Acho que poderia ser diferente, menos doloroso. E quando o problema passa e consegui (realmente) tirar um questionamento interior profundo de tudo, é que peço perdão a Deus e digo para mim mesma: Sua burra, aprendeu?


E vamos a frente...porque não tem outro jeito. Caminhar é o que lhe resta. MAS claro que você pode ter a absurda idéia de parar de se movimentar. A vida é sua, não me diz respeito. Mas pense bem...é o caminho? As coisas não vão cair do céu ou bater à sua porta. Isso não existirá nunca (a não ser granizo ou cobrador). Vale muito mais a pena se estropiar toda tentando do que a velha e mais interessante (em um primeiro momento) deixar a vida te levar. Você que tem que levar a sua vida. Zeca Pagodinho só cantou isso pra te alegrar, não é pra você levar a sério...


5 Pode comentar aqui e surtar junto comigo!: